Proline - Pensando Bem Proline Facebook
setinha



Notícias > Segurança: Como apresentar crianças a cães

Segurança: Como apresentar crianças a cães



Segurança: Como apresentar crianças a cães


Quem não se derrete com crianças que são apaixonadas por animais? Se seu filho adora fazer carinho nos bichinhos, é importante ensiná-lo alguns truques para evitar acidentes, especialmente com pets que não são do convívio dele.

Muitos cães são grandes amigos e extremamente carinhosos, mas, ao se sentirem ameaçados, podem reagir de diversas maneiras: seja afastando-se, desviando-se ou até atacando. Um cachorro que tenha histórico de agressão e de competição com outros cães ou pessoas pode interpretar a aproximação errada como um ataque. Portanto, procure antes conversar com o dono sobre o comportamento do animal e qual a melhor forma de se aproximar dele.

Como a exploração do mundo faz parte do aprendizado dos baixinhos, é natural que eles queiram aproximar-se de um cachorro, tocando-o, por vezes, com bastante entusiasmo. Muitas vezes, elas ainda não sabem que algumas ações que indicam afeto entre humanos podem ser interpretadas como ameaça pelos cães. Portanto, ensine as crianças ao seu redor a perceberem os sinais de que o pet está gostando ou não da abordagem.

Crianças gostam de botar suas mãozinhas em tudo, mas, para um cachorro, o gesto da mão vindo em sua direção pode representar uma forma de invasão a seu espaço. Isso ocorre, principalmente, se o toque surgir de repente, sem prévio aviso.

Beijos e abraços entram na mesma categoria; os pequenos gostam de abraçar bem apertado para mostrar o tamanho do carinho que sentem. Para um cão, isso pode significar uma tentativa de asfixiá-lo. O beijo pode ser interpretado como ameaça de mordida ou desafio.

O principal ponto é nunca manipular um animal contra a sua vontade. Espere a iniciativa do contato vir dele. Ensine também a criança a não aproximar rosto e pescoço do bichinho antes de conhecê-lo bem e de ambos se sentirem seguros na presença um do outro, pois são áreas extremamente vulneráveis.

Uma forma de conquistar a confiança do cãozinho é ensinando seu filho a brincar sem tocar: jogando uma bola para o pet ir buscar, por exemplo, ou aproximando uma peça de roupa com o cheirinho da criança para o animal reconhecê-la.

Vale lembrar que a raça do cão não é fator 100% determinante para a agressividade ou não dele. Existem Pit-bulls e Rottweillers apaixonados por crianças. Cachorros que têm contato com humanos, que são bem tratados e que convivem bem com crianças e outros animais costumam ter um temperamento mais tranquilo. Cães adestrados são mais fáceis de lidar e as crianças podem, ainda, aprender comandos para brincar com eles de forma segura.

Fonte: portalmelhoresamigos.com.br
Por: Paula Saldanha
(Foto: portalmelhoresamigos.com.br)

Mais Notícias


Nossa especialidade: desenvolver o que há de mais saudável em alimentos para cães.
copyright © 2016 - prolinepet.com.br