Um dos principais desafios das famílias com cães é a ansiedade de separação que muitos deles sofrem. Se você passa por isso em casa, conhece a história: antes mesmo dos responsáveis colocarem o pé para fora, o cachorro já fica atento. Parece estar em todos os cômodos ao mesmo tempo, e nota que tem gente trocando de roupa, calçando um sapato ou pegando uma bolsa ou uma mochila.

Depois, vem aquele choro de cortar o coração, protestos e até uivos na janela. Mas o que fazer? Vocês precisam sair de casa! E na volta, muitas vezes há surpresas negativas, como objetos destruídos e até xixi e cocô no lugar errado.

“A maioria dos cachorros ansiosos apresentam sinais desde filhotes, muitas vezes são traços sutis, como uma agitação que o destaca na matilha. Mas existem casos nos quais o animal desenvolve esse comportamento ao longo da vida, como depois de um evento traumático. O melhor caminho é reeducá-lo com reforços positivos e práticas diárias”, explica Mayara Ramos da Silva, médica-veterinária e especialista em comportamento animal.

Até porque, viver escondendo coisas que ele pode mastigar, ou fechar portas para que não apareça um xixi surpresa são práticas que contornam experiências desagradáveis, mas que não resolvem a raiz do problema.

Então, quais os primeiros passos para acostumar o cão a ficar algum tempo sozinho? Não há truque: os animais ansiosos precisam gastar energia. Então, antes de sair de casa sem o pet, capriche no passeio e nas brincadeiras. Na hora em que ele ficar sozinho, é importante que tenha brinquedos que estimulem a curiosidade e a resolução de problemas.

Por fim, não desanime. É possível amenizar a ansiedade de separação com práticas diárias, paciência e dedicação. Ao final de um processo de aprendizado, você e seu pet estarão mais tranquilos e com um convívio mais enriquecedor!

Fonte: http://portalmelhoresamigos.com.br