Devido a pandemia e ao home office, estamos vivendo uma fase de intensa convivência com os nossos pets. Porém, precisamos nos preocupar com o momento da separação.

Muito se fala da ansiedade em cães por conta da separação, mas, será que os gatos também sofrem com este processo? Talvez por sua independência, pode-se até pensar que não, mas a verdade é que SIM.

Uma pesquisa realizada em 2020 na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais, mapeou através de um questionário quais são os comportamentos mais frequentes relacionados à ansiedade de separação. Um total de 130 pessoas, donos de 223 gatos, responderam a um questionário baseado na literatura de ansiedade de separação de cães e gatos.

O estudo revelou que 13,45% dos gatos (30 em 223) demonstraram pelo menos um comportamento de ansiedade de separação, sendo o comportamento destrutivo o mais comum entre eles, relatado em 20 dos 30 gatos, seguido por outros comportamentos relacionados à separação: vocalização excessiva (19 gatos dos 30); micção inadequada (18/30); depressão-apatia (16/30); agressividade ou agitação (11/30) e ansiedade (11/30) e, menos frequente, a defecação inadequada (7/30).

A pesquisa revelou ainda uma relação entre os problemas de separação com o número de mulheres vivendo na casa, a falta de acesso a brinquedos ou a outros animais para brincar.

Referências:

de Souza Machado D, Oliveira PMB, Machado JC, Ceballos MC, Sant’Anna AC (2020)

Identification of separation-related problems in domestic cats: A questionnaire survey. PLoS

ONE 15(4): e0230999. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0230999