Nós sabemos que uma das maiores preocupações dos tutores de gatos é com o passeio habitual dos bichanos. O medo de não voltarem é grande, afinal, existem chances reais disso acontecer. Por isso, a pergunta que não quer calar é: o que fazer se o gato sumiu?

Essa leitura traz algumas soluções para evitar a triste condição de gato desaparecido, além de orientar sobre o que fazer caso o gatinho demore para voltar para casa. São dicas importantes para quem convive com animais de hábitos noturnos e instinto de caçador. Então, continue conosco.

Por que os gatos somem?

Antes de falar sobre o que fazer quando o gato sumiu, que tal entendermos por que esse bichinho tem o costume de fazer passeios fora de casa? O que tanto a rua tem de interessante para atraí-los a ficarem longe do conforto do lar?

Primeiramente, é importante saber que, apesar dos gatos serem bichos de estimação, eles ainda carregam hábitos selvagens. Por isso, é possível afirmar que eles são animais quase domésticos.

De acordo com os especialistas em comportamentos animais, os gatos se sentem a todo momento em uma selva. Sem falar que os limites físicos da casa podem ser muito maiores sob o olhar do gato. É possível que se estendam até a casa do vizinho ou ainda mais longe.

Então, já sabe: se seu gatinho costuma sair por aí, não é nada contra você! Saiba que ele ama o seu carinho e a caminha quentinha que você lhe deu de presente. Porém, suas raízes aventureiras são determinantes para o seu comportamento.

É correto deixar o gato sair de casa?

Mesmo que os felinos mantenham as características selvagens, os tutores precisam fazer valer o compromisso que assumiram de protegê-los e promover bem-estar ao trazê-los para dentro de casa.

Por isso, é recomendado manter os animaizinhos em casa. Isso vale principalmente para quem mora em apartamentos baixos ou casas térreas. Apesar de ter espaço de sobra para os bichinhos brincarem, soltá-los pode dar margem a sérios perigos, como:

  • acidentes como quedas e atropelamento;
  • brigas com outros gatos e outros animais;
  • doenças;
  • não saber voltar para casa.

Não há nada mais desolador do que escrever no cartaz “gato desaparecido”. Por isso, é melhor prevenir do que remediar. Veja o que pode ser feito para impedir a fuga desses bichinhos aventureiros ou recuperá-los mais facilmente após uma fuga.

Castração

A castração pode ser uma maneira de impedir que o gato se sinta tentado a sair de casa. Porém, de nada adianta se o procedimento for feito depois do animal já ter cultivado esse hábito. O ideal é castrá-lo antes que ele comece com os passeios noturnos.

Identificação

É muito indicado colocar nele uma placa de identificação. Ela pode vir da forma mais tradicional, como as coleiras com plaquinhas, ou em formato de chip. No caso da última opção, deve-se procurar uma clínica veterinária para implantá-lo sob a pele do animal. Seja na placa ou no chip, é importante ter os dados atualizados do tutor.

O que fazer quando o gato não volta para casa

Sabemos que, por mais que o tutor tome todos os cuidados, o gatinho pode driblar os obstáculos e  ganhar o mundo. Para deixar você preparado, caso algum dia perceba que o gato sumiu, compartilhamos orientações de como agir. Confira a seguir.

  1. Chame o gato: saber como chamar o gato desaparecido pode encurtar o momento de angústia. Chame-o pelo nome ou faça barulho com o pote onde ele come a ração;
  2. Procure no entorno: lembra que o conceito de casa do gatinho é diferente do seu? Pois então, ele pode estar tranquilo em algum telhado nas redondezas; 
  3. Converse com os vizinhos: perguntar ao vizinho se o gato esteve em sua casa ou se o viu caminhando para uma direção pode ajudar. Abrigos de animais próximos também podem ser levados em conta.
  4. Em caso de chip, entre em contato com o veterinário. Ele pode ter acesso à localização precisa do pet.
  5. Aguarde: se todas as medidas acima não surtirem efeito, o melhor a fazer é aguardar. O que não falta é tutor com relatos dizendo: “meu gato sumiu e voltou”.

O que deve ser feito após o retorno do gato? Se o seu pet voltou para casa como se nada tivesse acontecido, primeiro comemore, dê carinho, e depois leve-o ao veterinário. É importante fazer uma avaliação de sua saúde após a experiência de ficar nas ruas sem seus cuidados.

Se você é tutor de mais um de gatinho, o ideal é que você isole o “fujão” para que ele não contamine o companheiro caso tenha adquirido alguma doença de pele ou outra enfermidade.

FONTE: https://www.petz.com.br/blog/bem-estar/gato-sumiu/